Asas

Barcelona, vista do castelo de Montjüic

Hoje subo, mais alto e mais longe

Bebo o silêncio da montanha

Que acompanha os traços, leves e breves

Da subida sem olhar para trás

Hoje respiro, mais fundo, por um momento

Um céu de ternura pintado pela manhã

A calma das rotinas, a espiral dos dias

Cheios de esperança, salpicados de tudo

Hoje voo, ou creio que o posso fazer

Com os poros na ânsia do impulso

Voo para mim, porque as asas são de papel

Voo por ti, porque sustentas a queda

Advertisements